domingo, 19 de setembro de 2010

Garoto de recados

Penso que ser pioneiro as vezes da trabalho.
No início dos anos 70, mais precisamente em 1970 meus pais compram telefone para nossa casa, não sei bem qual era o processo utilizado na época, se já era o plano de expansão, sei que éramos, juntos com o nossos 2 vizinhos encostados os primeiros a termos telefones na nossa rua, uma rua com mais ou menos 40 casas. O que significaria isso? uma grande felicidade para toda a vizinhança, pois agora eles tinham um numero telefônico para ser dado para  recados ou para serem chamado de emergência. Certo.... emergência.... o que seria Emergência? A filha de Dona Camila esqueceu a receita do bolo de Cenoura, liga pra casa da dona Lourdes e pede pra chamar dona Camila, que mora no fim da rua. As amigas da igreja de Dona Aurelina gostam de conversar com a Idosa que fazer? liga pra Dona Orelhão Público, digo Dona Lourdes e manda chamar... e por ai vai os tipos de emergências.
Agora imagina você com 7 ou 8 anos de idade assistindo TV e o seu telefone tocando e você sabendo que é pra chamar a Dona Aurelina o seu humor como fica? Era batata! Você pegava o telefone a velha do outro lado do telefone, que sofria de ansiedade já começava a falar antes de você colocar o telefone na orelha. Lá ia o garotinho com toda a 'boa vontade' do mundo, chamar a idosa que tinha a 'emergencia' de por as fofocas do padre em dia.
Certa feita, ligaram para minha casa, realmente com uma emergência e eu não era acostumado a lidar com emergências, afinal eu não trabalhava no pronto-socorro, a mulher que ligou era a tia de uma vizinha nossa cujo qual era também inquilina da minha mãe, da casa do fim da rua. A tia pede pra que eu vá na casa das sobrinhas e avise que a avó delas havia falecido. Veja dar o recado para um garoto de 8 anos? Então tá, sem problemas, toquei a campainha da casa e saiu as duas moças na sacada de cima todas felizes, pois gostavam de conversar comigo, me achavam uma gracinha e tal... eu olhei para as duas e disse: -Olha sua avó morreu! Falei na lata!! dei as costas e segui pra minha casa porque não queria perder o programa da TV e de longe só se ouvia os gritos das moças na janela. Não sei se fui insensível ou estava irritado de estar perdendo algum programa legal na TV, ou porque eu tinha 8 anos mesmo! Só sei que depois que falei fiquei com pena, pois achei que as moças iriam cair da sacada!
Mas convenhamos, que idiota manda um recado desse tamanho para ser dito por uma criança?
Só fui demitido da profissão de garoto de recado quando a Telesp fez o grande plano de expansão de 1976/77, ai vários vizinhos passaram a ter telefone, inclusive dona Aurelina, que passou a contar a vida do padre em detalhes para as outras paroquianas com boletins de hora em hora!


Sala com Orelhão um luxo nos anos 70
para os vizinhos, claro!

As emergências das paroquianas amigas de Dona Aurelina


9 comentários:

Zú Leide disse...

acho que este lance de telefone todo mundo que não é desta geração Y, passou por isso..kkkk

e sempre o telefonema era p/ vizinha que morava + longe, né?

lembro logo que saiu, tinha fazer inscrição e demorava uns 3 anos p/ vc receber linha, o da minha mãe é desta epoca..

fora os trotes que a gente recebia...


bjuus

Dom Quixote (Thomaz) disse...

Muito bem contado o "causo", David. Vc tem um excelente senso de humor!

Meias de Seda (Suzy) disse...

Muito divertido...rs
Nunca havia reparado, mas a Dona Canô é a cara da minha falecida avó...rs

Renato Orlandi disse...

AHUShaushua... oooh dó! isso não se faz com um menino hauahsuaha... mas bem imagino como é isso, acontece hoje em dia onde eu moro com relação ao computador, sou o único da rua que tem kkkkkkkk... que cosa triste! bjuuu! rs

DO disse...

Ah,meu amigo,é ruim de eu perder meus programas pra ir chamar alguém lá nos quintos,rsss
Vcs têm que ganhar a auréola de anjos,rsss

Boa semana,DAVID!!

Tati disse...

Ai David..esse orelhão tá demais! ahahahahahhaa
Ai mas tadinho de vc!!
Beijo beijo
Tati

Zú Leide disse...

é verooo....tb morro de saudds Porto!!

faz anos que não vou p/ lá, apesar de ter ido a Sta Catarina este ano..

vou ficar feliz qdo for até vou cantar:
deu p/ ti baixa astral, vou p/ Porto Alegre tchau...

Poupée Amélie™ disse...

Que barato! Adorei o texto e lembrei muito da minha infância, onde ter telefone em casa era sinônimo de luxo. Adorei as imagens, principalmente o orelhão em plena sala de estar!!
BjO*

lahti shirley disse...

hahhahahahhaha tadinho :( eu te entendo David. as pessoas tbm abusavam de mim quando pequena...
eu ainda levava uma ''surra'' se fizesse algo errado...tipo,despejar na lata que alguém morreu! hahahhah

bjin