sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Homenageado no dia dos pais

Neste fim de semana fui homenageado no jornal da associação dos funcionários públicos daqui da minha cidade.
Claro que sabia que seria homenageado, me enviaram umas perguntas eu achei complicado, perguntei se podia escrever o artigo. Deixei claro que se não estivesse bom, pelo menos estariam as informações necessárias para ser executado.
Me enviaram uma resposta dizendo que estava perfeito... e no fim ficou meio que eu mesmo me entrevistando num misto de "I'm more I" com modéstia as favas!
Ai esta o jornal e minha auto entrevista.
O texto do jornal:
“Apesar de ter sido pai muito jovem, sempre foi meus planos ter filho. Tanto que isso foi muito imediato ao meu casamento e meu filho mais velho nasceu quando eu tinha 10 meses de casado.
Quando soube que seria pai, ocorreu uma reviravolta na minha vida; algo como você deixar de ser o cara que não tem medo de viver a vida e que não teme o dia de amanhã para passar a pensar num futuro, planejar como você estará, pois você quer viver para ter a felicidade de acompanhar seu filho. Acho que isso deve se chamar responsabilidade.
Acompanhei cada passo da gravidez da minha mulher com tanta ansiedade, lia tudo que surgia, cada sintoma que ela tinha e procurava em revistas e livros especializados para saber o que era ou não era normal.
Toda a visita ao obstetra estava eu lá e fui ao curso de gestante. Enfim, só não tinha o filho na barriga!
Minha geração de pais foi pioneira em acompanhar as mães à sala de parto.
Assisti o parto num misto de emoção e medo e, junto com meu filho, chorei muito ao vê-lo nascer!
E isso não foi apenas com o primeiro filho. Quando soubemos que o Yan estava a caminho, a emoção foi a mesma; tínhamos o Kim tão novinho, mas era o que queríamos, eu não queria ter filhos com grande diferença de idade.
Nunca deixei de ir ao pediatra com eles. Quando veio a Winnie foi a mesma coisa. Muitos achavam-nos loucos, mas foi exatamente assim que eu imaginava minha família, e eles vieram como eu sonhei!
Não houve obstetra, não houve um parto, não houve pediatra, não houve reunião de pais que eu tenha deixado de ir!
Nunca fui ‘pai por obrigação’; sempre fui pai por muito prazer! E o prazer que eles me dão, eu busco sempre retribuir.
Mas houve um dia que o casamento não estava mais dando certo e achamos que, por bem de todos, iríamos nos separar. Contar para os meninos foi difícil. Adolescentes, a gente tinha medo de uma reação forte. Ledo engano! Meus filhos, claro, ficaram tristes; ninguém fica feliz com uma separação, mas foram tão fortes que nos deram todo o apoio necessário e até na decoração da minha nova casa, eles foram participar.
Anos depois, quando fui comunicar sobre meu novo relacionamento, achei que teria problemas e que não seria compreendido. Mas, mais uma vez, eles me deram um show e mostraram que amar está acima de qualquer coisa.
Aprendi muito com eles: se você ensina com amor e liberdade, você recebe o mesmo. Ser pai é aprender em dobro cada lição ensinada aos filhos, pelos próprios filhos! Acho que aprendi muito mais com eles do que eles comigo. Eles me ensinaram a ter uma razão para a vida.
E eu choro escrevendo essas frases... Sou um chorão!”


Foto de seriado

Na época que o Yan era porteño e fazia falta nas fotos.
Todos com seu cônjuges. (Marido e filhos postiços) 

Dona Lourdes e seus bambinos, Lauranne já fazendo seu debut!

Meu dia dos Pais é todos os dias, há mais de 26 anos vivencio essa felicidade, muito antes do Kim nascer já sentia esse prazer!




sábado, 27 de julho de 2013

Fui adolescente dos anos 80 e tenho orgulho disso

Em 1980 eu tinha 16 anos, estava no auge de minha adolescência, o mundo explodia em cores, a moda era na época algo exuberante.
Foi a década do freio, havíamos passado a louca década anterior do amor livre, porém, nessa conhecemos a AIDS e com ela tudo se temia.
Terminava a fase Disco mas a música ficava cada vez mais colorida deu um jeito cítrico, as bandas de rock nacional surgiam, era um novo fervilhamento cultural, surgia o New Wave algo estranho hoje, mas como toda a moda, na época fazia o maior sentido. (e os coloridos de hoje se acham inéditos)
Porém pessoas que não viveram essa época que vieram pós isso, tendem a achar que tudo era ridículo e tal, vem falar das ombreiras dos cabelos volumosos, das músicas e tirar uma da cara da gente que viveu a adolescência mais legal de todas!
Esquecem que eu fui um privilegiado em ir ao cinema assistir: O recruta Benjamin - Curtindo a vida adoidado - Férias Frustradas - ET - Beetlejuice (Os Fantasmas se Divertem) - O Nome da Rosa  - Corra Que a Polícia Vem Aí! -Footloose - Feitiço da Lua - Loucademia de Polícia - Apertem os cintos ... o piloto sumiu - Karatê Kid - Flashdance - Arthur – O Milionário Sedutor - Porky’s - Big (Quero Ser Grande) - Poltergeist -  Good Morning, Vietnam - A Força do Destino - A Cor Púrpura - Gremlins - Laços de Ternura – três solteirões e um bebe - Dirty Dancing - Tootsie - Aliens - 007 Somente Para Seus Olhos - Entre dois amores – Os Caça-Fantasmas – Indiana Jones e o Templo da Perdição – Top Gun – De Volta para o Futuro – Os Caçadores da Arca Perdida – O Império Contra-Ataca – O Retorno de Jedi – Xanadu. Etc, etc, etc...

Listar bandas e cantores em que ouvir era NORMAL: A-HA - Alpha Ville - Asia - The B-52´s - Camisa de Venus - Capital Inicial - Bryan Ferry - Bolshoi - Blondie - Cyndi Lauper - Culture club - Kim Carnes - Depeche Modes - Duran Duran - Dr. silvana & Cia - Kid Abelha & os Abóboras Selvagens - Gang 90 e as Absurdetes - Metrô -Madonna - Magazine - Marina Lima - Nina Hagen - Olivia Newton John - Oingo Boingo - Pet Shop Boys - Roxette - Siouxsie & the Banshees - Sisters of Mercy - Titãs - Ultraje a Rigor - Vangelis... tem muito mais, mas tem tanta gente que ficaria tão chato quanto a lista de cima

Cada época existe seu glamour, só quem a vive sabe. E nada como ter a intensidade de um adolescente pra sentir isso, julgue sua época como a melhor, mas deixe os outros acharem que a dele também foi a melhor!
Tive a sorte de iniciar minha adolescência nos anos 70, porém o meu fervo foi anos 80!


A moda, digamos, um pouco over

Os meninos

As cantoras
A Olivia
porque é a Olivia

#fica a dica

terça-feira, 23 de julho de 2013

Um dia eu volto

A inspiração fugiu, estou a caça dela!
Pode ser amanhã, pode ser um ano, mas quando isso acontecer será bem feito!

Eu volto

Beijos a todos

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Dia do meio ambiente


5 de junho o dia que deveria ser todo dia.
Pensamos no meio ambiente como algo verde e que precisamos conservar, pensamos nos animaizinhos que estão em extinção, nas águas que estão sujas ou no ar que esta acinzentado e que tudo esta fora de nosso alcance.

Mas você já parou para pensar o quanto ajuda para isso acontecer?
Sim, quando você não faz nada, você é um poluidor! Nato ou inato!
Você acha que todo o lixo da sua casa evapora? 
Você acha que aquela torneira que corre água solta, não acontece nada?
Que a arvore na sua calçada que suja seu quintal não é necessária?
Aquela bituca de cigarro, aquele chicle, aquele papelzinho de bala que você joga inadvertidamente na rua?
Comprar celular hight tech toda hora? é meu bem, consumo desvairado é um problema! Seu celular velho vai para um cemitério? 
Ah você usa descartáveis? muito prático eu sei. Eu sei que você também sabe pra onde vai todo esse descartável!
Não vou nem dizer sobre ter animais silvestres, o Louro, o canário da Terra do seu avô a tartaruga da Tia Frida!

Então você acha que plantar um pinheirinho esta tudo resolvido?

Arregace as mangas aproveite o dia de hoje para começar a fazer muitas coisas pelo seu ambiente, o nosso ambiente, O MEIO AMBIENTE!



Mesmo em larga escala as coisas nem sempre acontecem como deveriam acontecer.

Em uma cidade que eu moro conheço um ex-prefeito teve como meta ecológica plantar 100.000 mudas de árvores no parque ecológico dessa cidade.
Uau! fantástico, isso resolver muito para o meio ambiente natural e melhora o meio ambiente urbano.
Sem ter um estudo específico da área, esse prefeito resolveu plantar arvores no parque setorizando.
Em cada parte plantava uma única espécie, como se fosse uma horta.
Em um canto plantou só pinheiros, em outro plantou só primaveras, em outro só Ipês roxos, no outro só amarelos e assim, sem um critério foi fazendo uma horta de arvores.
Para um fim paisagístico, ok, funciona, porém, para um parque ECOLÓGICO, digamos que faltou algo.
Se as pessoas acham que diversidade é somente tema para parada gay, deixa explicar, para você ter um ambiente ecologicamente  viável tem que acontecer diversidade de espécies nativas!

Um estudo raso da flora local já daria pra suprir isso!
Mas cheio de boa vontade e com pouco conhecimento, o tal parque esta cheio de arvores exóticas (aquela que não é nativa) e algumas nativas, mas plantadas por setor.
Ficou bonito? sim até ficou. Atraiu animais? muito pouco!

O que eu quero dizer com isso?

Com o gasto tido, poderia-se ter feito áreas paisagísticas,pois isso melhora o meio ambiente urbano e áreas ecológicas melhorando o meio ambiente natural.
O que faltou?
Estudo de caso, um profissional capacitado que nem cobraria tanto por isso e que no final sairia barato pela sadia qualidade de vida proporcionada!


O parque é lindo e paisagisticamente esta ótimo, mas ecologicamente só o nome.


terça-feira, 14 de maio de 2013

A anaconda e a mousse de mármore

1989, fim do ano....
Jane aprendera a fazer uma mousse marmorizada. Testou varias vezes em casa com nós cobaias.
Aprovamos e elogiamos muito.
Nessa época sua irmã Jocasta (preservarei a identidade dela) estava passando uma temporada conosco. Jocasta que era um fio de rabiola, porém comia como uma anaconda que passara 1 ano em jejum.
Claro que as mousses eram aprovadas por ela, creio que se a mousse fosse de mármore ela só demoraria um pouco mais pra digerir.
A Jane toda orgulhosa com seu feito culinário, ligou para minha tia Cida, que era, para a Jane, o sonho de sofisticação e chiqueteza, convidando a para vir em casa para provar a tal. mousse.
No sábado de manhã a Jane foi para a cozinha e se dedicou a caprichar triplicadamente para que nossa tia e família se surpreendesse com o feito. Enquanto isso Jocasta, a anaconda assistia tudo na dela sabendo de tudo que iria acontecer.
Jane colocou a tal mousse no recipiente mais bambambã que tinha, enfeitou e tal, era uma obra de arte!
Deu banho nas crianças, conferiu se toda a casa estava "delirante" e foi se arrumar! E anaconda Jocasta na dela.
Chegou o momento glamour, chegou minha tia Cida, meu tio e minha prima (na verdade eles nem são tanto assim, mas pra Jane...UUUU são) e veio minha outra tia irmã de minha mãe pra essa inauguração da Mousse de Granito!
Conversa vem, conversa vai... Jane foi a cozinha para buscar a tal  ma-ra-vi-lho-sa mousse, chegando na cozinha a Jane da um grito suave me chamando, como eu a conhecia, sabia que algo não andava bem, deixei   as visitas em cargo de minha tia Lucia (irmã de minha mãe) e de Jocasta que na verdade estava muitissimo quieta.
Chegando na cozinha a Jane estava na cor de papel, me mostrou a estupenda mousse dela na vasilha... e lá só tinha um restinho, tipo 20% do total.
Claro, nem pensamos duas vezes, quem poderia ter sido, foi anaconda, o fiapo comia 2 pizzas sozinha, quem diria uma mousse.
Rápido a Jane resolveu colocar o restante em tacinhas e distribuir direto para os convidados, o que poderia fazer?
Levou na sala e deu as 3 tacinhas para minha tia Cida, meu tio e prima e voltou na cozinha pra raspar o que desse para dar pra minha tia Lúcia, que era de casa e para o Kim (que era o único dos meus filhos que comia algo na época). quando voltamos na sala, minha tia Cida gentilmente passou sua taça para Jocasta e meu tio passou para o Kim e ficaram esperando as outras taças.
Jocasta mesmo sabendo da confusão que tinha feito, estava tranquila comendo a mousse, como se fosse a primeira vez na vida, minha tia Lúcia, sacou o que estava acontecendo e disse que não queria e demos restos raspados da famosa mousse para minha tia e meu tio. Vergonha ao cubo.
A Jane sorria amarelo e eu queria ligar para o Butantã pra virem buscar a anaconda!
Uma semana depois a Jane foi à casa da minha tia Cida e levou uma mousse inteirinha e acabou contando a saia justa que passamos.


quarta-feira, 3 de abril de 2013

Teresina Célia, a atrapalhadinha

Teresina Célia foi por alguns anos um membro de nossa família, fora casada com um primo meu.  Teresina era uma pessoa engraçada, mas era engraçada não por contar piadas, ou por ser irônica. Teresina Célia era engraçada porque era desligada e digamos ingenua demais. Teresina Célia era filha de dona Barbosinha outra pessoa digamos engraçada no mesmo nível, desde que não alugasse a gente.
Deixa que eu explico tudo:
Teresina Célia casou-se as pressas com meu primo George Washington por motivos de gravidez, normal hoje normal há 25 anos atrás também.
Teresina Célia tinha sempre um olhar perdido, como se estivesse fazendo cálculos matemáticos complexos. Todos os dias durante sua gravidez, voltava de carona comigo para sua casa e conversávamos qualquer coisa.
Em uma das vezes aconselhei-a a comprar fraldas descartáveis regularmente antes de dar a luz, assim quando o pimpolho nascesse já teria um estoque razoável. Ela prontamente me respondeu:
- Já tenho 10 pacotes! - e com um olhar de quem estivesse fazendo cálculos vetoriais começou uma enxurrada de correções enquanto eu dirigia.
-Não tenho 9 pacotes.. espera.... calma... tenho 8 pacotes.. não não... tenho 7 pacotes... não.. tenho 6 pacotes... lembrei... tenho 5 pacotes... não não tenho 4 pacotes...
E eu dirigindo e olhando as vezes para calculadora HP humana fazendo seus cálculos...
-Não tenho 3 pacotes... ahh! tenho 2 pacotes! melhor.. tenho 1 pacote.... Pensando bem eu tenho uma fralda só que veio numa brincadeira do meu chá de cozinha!
Não abri mais minha boca sobre o assunto e resmunguei do transito, tinha medo de algum cálculo novo.

Passou-se 3 anos... Teresina Célia já era bem da família, todo mundo conhecia seu olhar "Perdidos no Espaço" e já nem dava trela para isso, porém tinha uma nova vítima para ouvi-la.

Era a festa de 3 anos do Yan, fizemos num buffet infantil perto de casa, minha então sogra ( a colheitadeira profissional ) estava nos ajudando a recepcionar os convidados.
Quem ela recepciona?
Teresina Célia olha para Dona Carmen e diz:
- DONA CARMEN COMO A SENHORA REJUVENESCEU!! PARECE 20 ANOS MAIS NOVA!!! NÃO TE DOU MAIS QUE 45 ANOS. (falou muito alto, afinal ela estava elogiando)
Dona Carmen sorri largamente para ela e  abraça a criatura para que pare de falar... afinal dona Carmen estava com 40 anos na época!
E Teresina Célia entrou feliz, crente que tinha feito bem a alguém!

Só por curiosidade a mãe de Teresina Célia, a dona Barbosinha, era uma mulher que tinha o disco furado, ela te encontrava na rua e começava uma lista de como vai fulano, como vai sicrano e quando terminava a lista ela começa a lista de novo, no minimo 3 vezes. ( sério, não estou exagerando).
Calculando os vetores da fralda descartável

Ou era muito ingenua ou era de uma perversidade cabulosa 

domingo, 6 de janeiro de 2013

Os primeiros passos do seu filho

Quando engatinhar para seu filho é pouco e você o pega pelos bracinhos e ensaia os seus primeiros passos,  cada passo que ele dá é uma alegria tão grande pra você e uma conquista enorme para ele.
Passa-se os anos, você já nem lembra mais como era fazer isso, mas de repente você se vê novamente nessa conquista dos passos, só que os sentimentos não são tão simples, você esta feliz, mas por que chora tanto? Seu filho esta dando os passos para direção que sempre desejou, esta caminhando para um lugar ao sol, mas suas lágrimas são de felicidades? Sim são de felicidades, porém existe um misto de medo, tristeza de vê-lo partir para longe, de não estar perto quando ele precisar.
Porque de toda essa história?
Meu filho Yan esta de mudança, esta mudando para Buenos Aires para estudar e jogar Rugby, esta que não se contem de felicidade, toda sua ânsia juvenil sua sede de conquista transborda por todos os poros, impossível  nós pais não ficarmos contagiados.
Mas meus sentimentos são tão loucos, pois para cada sorriso de felicidade e orgulho, um nó no peito e na garganta surge, tenho certeza que sua mãe esta assim também.
Mas engolimos todos os temores e só desejamos o melhor!

Yan boa viagem!
Faça o seu melhor
Estamos orgulhosos de você, sempre!!
Seus pais, sua mãe, seus irmãos e suas avós torcem por você!
Vai fundo garoto!







Minha mãe, que nos últimos 4 anos conviveu com ele diariamente, 
pois ele resolveu morar com ela em São Paulo, esta murchinha,
pra ela é mais difícil pensar no Yan 5 anos fora.


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Cristo Redentor e minha mãe


Estivemos, neste último dezembro, no Rio de Janeiro, visitando meu filho Kim e minha nora Lauranne, comigo foram minha mãe e minha tia Lúcia, a irmã caçula de minha mãe (isso não significa que ela seja uma menininha, ok?). Minha mãe fazia 32 anos que visitara o Rio e minha tia fazia 45 anos, ou seja, elas conheciam um outro Rio de Janeiro.
Todo o trânsito da cidade não as assustou tanto, já que as moçoilas são moradoras de São Paulo, mas a mim,  irritou me os buzinadores, pois carioca, não sei por quê, tem um paixão frenética pela buzina.

Mas o Cristo Redentor algo estava estranho, segundo a visão de Dona Lourdes, ao visitarmos a Lagoa Rodrigo de Freitas, minha mãe olhou o morro do Corcovado e viu o Cristo e disse:
- Opa! esse não é o Cristo Redentor! Deve ser outro, acho que fizeram mais um, só que menor!
Não adiantou a gente rir e dizer que era o mesmo, pois ela encasquetou que esse Cristo estava pequeno.

Visitamos o Cristo Redentor depois de alguns dias, ai minha mãe teve a certeza que o Cristo encolheu. (confesso que também tive essa impressão).

Mas no Cristo a diversão continuou...
Uma imensidão de turistas do mundo todo e Dona Lourdes no meio de todos.
No mirante em frente ao Cristo tem uma escadaria e havia uma senhora com uma bengala subindo as escadas, Dona Lourdes que é uma moça de 83 anos resolveu ajuda-la.
Ao término da escadaria, a senhorinha disse: -Thank you! 
Minha mãe dominadora do idioma respondeu: -hehehehe uma velha ajudando a outra, é engraçado mesmo!

Um casal de algum estado do Nordeste estava com seus filhos adolescentes tirando fotos, a filha tirava dos pais com o irmão e a mãe pedia pra que fosse rápida pois a bateria da câmera estava acabando.
Minha mãe observou tudo e virou pra mim e disse:
-Nossa eu entendi quase tudo o que eles falaram! Entendi que as pilhas da maquina fotográfica estão fracas!
Eu respondi:
Mãe! eles estão falando o nosso idioma, ainda bem que a senhora ainda entende o português!

Essa é a Dona Lourdes!
Acho que esse Não é o Cristo Redentor

Estou falando que ele é pequeno!

Os cincos aventurantes

As irmãs, e minha tia em um momento de Kátia cega


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

A tá!

Véspera de ano novo, todos na piscina do sitio, eu cuidando de alguns detalhes da ceia da noite.
Entra o Clark na cozinha todo felizinho com algumas cervejas tomadas e me pergunta porque eu não paro o que estou fazendo e vou ficar com todos lá fora. Digo que já estou terminando e que vou pra lá.
Nisso ele diz:
-Eu estou contando pra eles umas histórias! Você sabe que meus pais vieram de outro pais, né?
Eu fiz uma cara de pirulito de desenho animado americano e ele continuou:
-Sim vieram do Japão!
Minha cara deve ter dobrado o tamanho do pirulito.
Ai eu pensei, porra o Clark deve estar muito bêbado, contar uma "mentirinha" desse tamanho e achar que todo mundo vai engolir, ele está preste a entrar em coma alcoólico!
Ai o Clark vendo minha cara de paisagem do Saara diz:
-David, era eu que amassava a massa do pão, já disse isso pra você!
Eu cai do estase e falei:
-Calma, calma, calma... do que estamos falando?
Ele:
-Meus pais vendiam pão!
Eu:
AAAAA tá!!! achei que você tinha extrapolado sua coerência de mentirinhas de bêbado e todo mundo lá fora estava pior que você!
O filho de japoneses