terça-feira, 14 de maio de 2013

A anaconda e a mousse de mármore

1989, fim do ano....
Jane aprendera a fazer uma mousse marmorizada. Testou varias vezes em casa com nós cobaias.
Aprovamos e elogiamos muito.
Nessa época sua irmã Jocasta (preservarei a identidade dela) estava passando uma temporada conosco. Jocasta que era um fio de rabiola, porém comia como uma anaconda que passara 1 ano em jejum.
Claro que as mousses eram aprovadas por ela, creio que se a mousse fosse de mármore ela só demoraria um pouco mais pra digerir.
A Jane toda orgulhosa com seu feito culinário, ligou para minha tia Cida, que era, para a Jane, o sonho de sofisticação e chiqueteza, convidando a para vir em casa para provar a tal. mousse.
No sábado de manhã a Jane foi para a cozinha e se dedicou a caprichar triplicadamente para que nossa tia e família se surpreendesse com o feito. Enquanto isso Jocasta, a anaconda assistia tudo na dela sabendo de tudo que iria acontecer.
Jane colocou a tal mousse no recipiente mais bambambã que tinha, enfeitou e tal, era uma obra de arte!
Deu banho nas crianças, conferiu se toda a casa estava "delirante" e foi se arrumar! E anaconda Jocasta na dela.
Chegou o momento glamour, chegou minha tia Cida, meu tio e minha prima (na verdade eles nem são tanto assim, mas pra Jane...UUUU são) e veio minha outra tia irmã de minha mãe pra essa inauguração da Mousse de Granito!
Conversa vem, conversa vai... Jane foi a cozinha para buscar a tal  ma-ra-vi-lho-sa mousse, chegando na cozinha a Jane da um grito suave me chamando, como eu a conhecia, sabia que algo não andava bem, deixei   as visitas em cargo de minha tia Lucia (irmã de minha mãe) e de Jocasta que na verdade estava muitissimo quieta.
Chegando na cozinha a Jane estava na cor de papel, me mostrou a estupenda mousse dela na vasilha... e lá só tinha um restinho, tipo 20% do total.
Claro, nem pensamos duas vezes, quem poderia ter sido, foi anaconda, o fiapo comia 2 pizzas sozinha, quem diria uma mousse.
Rápido a Jane resolveu colocar o restante em tacinhas e distribuir direto para os convidados, o que poderia fazer?
Levou na sala e deu as 3 tacinhas para minha tia Cida, meu tio e prima e voltou na cozinha pra raspar o que desse para dar pra minha tia Lúcia, que era de casa e para o Kim (que era o único dos meus filhos que comia algo na época). quando voltamos na sala, minha tia Cida gentilmente passou sua taça para Jocasta e meu tio passou para o Kim e ficaram esperando as outras taças.
Jocasta mesmo sabendo da confusão que tinha feito, estava tranquila comendo a mousse, como se fosse a primeira vez na vida, minha tia Lúcia, sacou o que estava acontecendo e disse que não queria e demos restos raspados da famosa mousse para minha tia e meu tio. Vergonha ao cubo.
A Jane sorria amarelo e eu queria ligar para o Butantã pra virem buscar a anaconda!
Uma semana depois a Jane foi à casa da minha tia Cida e levou uma mousse inteirinha e acabou contando a saia justa que passamos.


5 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

OMM! q horror ... rs

Palavras Vagabundas disse...

Jane bateu na anaconda? Eu bateria!
bjs
Jussara

Inaie disse...

E vc ainda preserva o nome da Anaconda? Eu publicaria no jornal, pra proteger possiveis vitimas...

Madi Muller disse...

Credo,se eu estivesse lá,teria caído dura e empalhada..ahahaha...

Inaie disse...

Deixa de ser vagabundo e volta a escrever nesse blog abandonado!!!