domingo, 4 de julho de 2010

A rifa, a outra face



Eu sou "o cara" para rifas, tenho uma sorte fantástica.
Um exemplo foi quando estava no primário, minha professora, não sei por que cargas d'agua resolveu dar presentes para todos os alunos da classe, todos não, quase todos. pra ser exato tínhamos 39 alunos na classe e minha professorinha comprou 35 canetas com uns badulaques (coisa raríssima na minha época escolar).
Como era o último dia de aula ela contava com um contingente menor na classe. Ela resolveu o impasse da seguinte maneira. Fez um sorteio, colocou o nome de todos os alunos e começou a tirar de uma caixinha. Foram chamados um a um e quando chegou a trigésima quinta pessoa a ser chamada, o aluno havia faltado, chamou outro e de novo outro aluno faltante. Eu esperando ser sorteado, todo mundo com a maldita caneta e eu esperando... tinha mais alguns papeizinhos dentro da caixa. A professora sorteou o ultimo papel, o feliz sorteado era meu melhor amigo. Sobraram 3 papeizinhos o meu e de outros 2 faltantes... em resumo numa chance de 35 em 36 eu consegui perder!
Ficamos eu e a professora com cara de bosta.... eu por não ter ganho e ela por saber que iria criar um trauma naquela criança!

E sempre foi assim, nunca consegui ganhar nada. Até que um dia comprei uma rifa de um Ovo de Pascoa de 1 kg de uma creche que era vizinha a minha empresa.
Nem lembrava que tinha comprado, afinal pra que lembrar se eu nunca ganharia?
Eis que no Sábado de Aleluia, liga uma funcionaria da empresa pra me dar a feliz noticia de que eu era o grande ganhador!
Sai todo feliz, pois pra mim era a façanha do século.
Havia prometido a um amigo de buscar ele e a família no aeroporto, pois estavam voltando de uma viagem ao Canadá.
Fui todo feliz, todo empolgado pra contar a novidade a ele. Mal entrou no carro meu amigo mais empolgado que eu, queria contar uma novidade e eu disse também que tinha uma.... mas por educação e por ver que ele estava contagiado com a viagem deixei o contar. Ele me disse que a Varig (existia ainda na época) havia feito sorteio de dois acentos no avião... e suas 2 filhas haviam sido sorteadas, cada uma com 2 passagens a Paris.
Eles estavam extasiados... depois de contar, ele me perguntou qual era minha novidade... fingi que havia esquecido e trouxe eles para casa.
Chegando em casa, liguei para minha funcionária e disse para ela ficar com o Ovo de Páscoa. Bobagem!

2 comentários:

Tati disse...

morri de rir.hahahahahahahahahahah
nossa qraivaaaaaaaaaaaaaa
Viu mas sobre as canetinhas, que dóooo
to imaginando vc pequeno chorando haha
professora má! ahahaha

david era uma vez... disse...

Pois é.. professora politicamente incorreta!!