quarta-feira, 4 de agosto de 2010

HEIN? ou, Criando Pavarotis, Carusos, Callas e Caballes

Minha avó materna chegou da Espanha com seus pais aos 6 anos de idade em 1912. Meus bisavós foram direto para o interior do estado, para trabalhar na lavoura, como era comum com os imigrantes da época. Quando minha avó tinha 15 anos, ela foi mordida por uma jararaca, claro que ela sobreviveu ( dã!) se ela virou avó! Mas enfim, sua única sequela foi talvez sua surdez. Surdez que lhe acompanhou a vida toda. Surdez que fez com que a família ganhasse alguns modesto decibéis a mais do que o normal. O que seria normal? Imagine o que seria normal, meus avós moravam na Moóca no meio de um conglomerado de imigrantes Italianos, Portugueses e Espanhóis. Por natureza todo mundo já falava alto. Agora imagina isso mais um plus de uma mãe surda? Pois então, esse é o ambiente em que nasci, da pra perceber que não sou uma pessoa discreta.

Minha avó era analfabeta por escolha do seu pai, que acha que mulher não precisava estudar. Meu avô, sempre supriu lhe toda a parte necessária. (Um dia conto dos devaneios de compras do meu avô). Mas depois de velha minha avó gostava de escrever seu nome e sempre pedia pra que um dos seus netos a ajudasse.
Uma vez eu fui muito cedo para sua casa, la estava ela com um caderno tentando escrever coisas. Comecei a ajuda-la, tudo que eu lhe falava, nada adiantava, eu ia cada vez falando mais alto, falava pra ela que estava tudo errado fora das linhas e ela toda empenhada tentando, apagando, mas nada fazia do que eu falava. Fiquei nesse disse me disse me descabelando tentando explicar que as letras eram para acompanhar as linhas e tal, mais de uma hora. Já estava cansado da teimosia dela, subindo pelas paredes. Quando minha mãe chega olha a cena e fala assim.. Oi Mã! OOOOI MÃ!! - ficou na frente dela apontou o ouvido e falou: -esta sem o aparelho? MInha vó respondeu: Sim, seu pai foi comprar pilhas! Eu olhei pra minha mãe e falei: Eu tô a uma hora falando com as paredes? Minha mãe nem ligou pro meu drama pegou um café e saiu andando e foi arrumar o que fazer.



Hoje já não temos mais minha avó, mas o volume das vozes continuam em alta! Colocar minhas tias no carro é engraçado, pois elas começam a conversar, você coloca o radio mais alto, elas falam mais alto, você aumenta mais e elas mais alto vão falando, chega uma hora que você pensa que esta em um manicômio e desliga o radio e elas nem ai e continuam. Quem ve de fora do carro pensa que é briga a sorte que a maioria das vezes elas estão dando risadas. Elas gostam de tirar barato umas das outras.


Todos Pavarotis, Cabalets, Callas e Carusos em uma festa... nem o Aeroporto de Congonhas tem esses niveis de Decibéis

6 comentários:

Tati disse...

Ai David, ameeeeii esse post....adoro essas fotooosss de familia reunida..
Lindooo, adorei adorei adorei...
Parabens pela linda familia..
Beijokxxxxxxxxx

Anônimo disse...

Davizinho....não sei pq mas me identifiquei com esse seu post.....será por falar "meio" alto ou pela family espanhola????bjossss.......Cá.

DO disse...

O importante é que a familia parece ser muito unida,David.Com ou sem vozes altas,rsss

Aqui em casa ando meio sem paciencia com minha mama que,tbem,adora falar alto. E ai de vc se pede pra ela diminuir o volume,rss

Abração!!

Sandra =^.^= disse...

Oi David!
Então, deixa eu te contar.
Tenho aqui em casa 2 cachorras, 2 gatas e 2 canários e todos vivem na santa paz de Deus...Amém!
Eu acho que as cachorras enxergam as gatas como se fossem cachorras. E as gatas enxergam os canários como se fossem gatos. Pois ninguém quer comer ninguém (no bom sentido, é claro). Os humanos aqui é que de vez em qdo tem uns arranca rabo, um quer afogar o outro no vaso sanitário e por aí vai...
Mas a bicharada é tudo de boa um c/ o outro...eles se olham c/ olhos de amor (que lindo!).
Mas faz como a Lu do blog calma que estou com pressa, que também tem gatos....pendura o comedouro beeem alto.
Grande beijo pra ti e até +.

Buscando uma Saida disse...

Acredito que onde quer que a sua vó esteja ela ficará muito feliz pelas doces lembranças, onde voce (o neto)de alguma forma homenagea toda a sua familia, com acontecimentos de forma muito agradável e irreverente!
É verdade tenho alguns amigos italianos, ou descendentes e eles falam aos berros, quase gritando!
Vou te confidenciar um segredo, um dia passei o domingo inteiro na casa de um amigo descendente de italianos, eu cheguei em casa com os ouvidos apitando e falando alto!
Não poderia ter ficado diferente neh, na casa de um descendete de Pavoratti!

[Ψ]ÐU کτγℓє[Ψ] disse...

nom tou nessa...=P

intom nom saum todos...oiajoijai

Só porque eu sou a ovelha negra da família??