segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Primeiro dia na escola ou Um aliem na gaiola de micos

Em 1970 entrei no pré, isso, pré-primário, não faço ideia como se chama isso hoje.
Naquela época o mundo não era preto e branco como as pessoas vêem nas fotos, existia cor e as cores eram iguais as de agora, só que as maquinas fotográficas ou não tinham cor ou já saiam desbotadas.
Mas vamos a minha historinha.
Dona Lourdes me levou para a escola, primeiro dia de aula do David.
Fui colocado para dentro dos portões de um grande colégio de freiras, eu então na época estava com 5 anos e meio ( faria 6 no meio do ano), fui indagado por alguém, (não lembro ou nem sei quem, caray eu era pequeno pra caramba) pra que ano eu ia.
No meu raciocínio lógico de 5 anos disse 1º, ou qualquer coisa parecida com isso, pois eu estava aterrorizado com o fato de estar sozinho no meio de tanta gente estranha, afinal era a primeira vez que estava chegando na escola. Só sei que fui parar em uma classe onde haviam crianças muito mais velhas que eu (6 anos e meio) e fui ficando por lá, até que apareceu uma freira esbaforida procurando um aluno perdido do pré, claro que esse aluno era eu. Já estava feito meu primeiro mico, 1 hora de escola e eu já tinha ido parar em outra classe de um outro ano e tinha sido classificado como aluno desaparecido.
A irmã X me levou para minha classe, onde a minha professora Dona Sílvia me esperava ( que mané Tia Sílvia! naquela época a gente não tinha o habito e nem podia chamar a professora por outro nome que não fosse Dona ), fui colocado na primeira carteira encostada a porta. Todo mundo me olhava como um aliem e eu me sentia exatamente um aliem.
Chegou a hora do recreio, pelo menos naqueles primeiros dias, não podíamos sair da classe, ficávamos dentro da classe, a professora deu uma saída e eu o aliem, fui abrir minha lancheira e ploft! derrubei todo meu leite com achocolatado no chão! Meu botão de pânico ligou no modo máximo. Os outros alunos que também sofriam de pavor, acho que tínhamos medo de tudo, e olha que Dona Sílvia era uma moça de uns 18 anos e super fofa, mas na nossa cabeça ela podia tirar uma arma e matar nos. Ficaram na porta controlando a chegada da professora enquanto eu limpava o chão com minha bunda, isso mesmo, eu sentei no chão e comecei a limpar com minha bunda.
A professora chegou, claro que viu a poça de achocolatado mal limpa, bem na porta da sala, perguntou o que acontecera, todo mundo contou, mas ninguém contou com o intuito de me dedurar, mas sim com pânico de algo como: "não faça nada com ele, foi sem querer". Dona Sílvia, deve ter achado engraçado, eu limpar com a bunda, mas ficou na dela e pediu para que alguém da limpeza desse um jeito.
2horas e meia de aula e eu já tinha passado 2 fabulosos micos, eu seria um grande aluno na minha vida.
Mas não acabou.
Dona Sílvia deu um desenho mimeografado para colorirmos, lembro bem, pois, trauma a gente grava a ferro e fogo, era uma floresta que tinha um leão e um elefante. Falou para colorirmos e de novo saiu da sala ( pensando bem, Dona Sílvia gostava de passear fora da classe). Comecei a colorir meu desenho, acho que depois do que já passara, as meninas da minha classe resolveram prestar atenção no que o aliem fazia, ainda bem, porque este aliem que vos escreve, pra quem não sabe é daltônico e na época não fazia ideia do que seria daltônico, mas resolveu pintar o leão do que supostamente seria a cor de leão, Verde, pintei meu leão de verde e meu elefante de de Rosa, as meninas que estavam de plantão, viram e entraram em pânico, pegaram meu desenho e trocaram por outro sem pintar, que a professora deixara na mesa. Eu comecei a pintar de novo, ai pintei o leão de laranja, nem deu tempo de terminar, que as meninas tiraram de minha mão e me deram o desenho pintado. (resumo da opera, meu trauma de daltônico foi tão grande, que minha família só viera a saber que eu era daltônico quando eu tinha 28 anos e resolvi sair do armário das cores daltônicas). A professora chegou, nada percebeu pegou os desenhos pintados e acho que ficou aliviada ao ver que o pequeno aliem não fizera nada estranho.
Minha mãe veio me buscar e não sei como já estava sabendo das minhas peripécias e claro que minha bunda suja de Nescau era visível por toda a escola.



6 meses antes de virar um aliem escolar

6 meses depois, na segunda reunião de pais, dona Sílvia vem para minha mãe e diz: -Dona Lourdes, os Russos e os Americanos gastaram tanto com corrida espacial para ver quem chegaria primeiro na lua, o David chegou na lua muito tempo antes que todo mundo, ele vive no mundo da lua!!!
Não era uma fofa a dona Sílvia?


E todo mundo achando que foi Neil Armstrong!

                                                               

38 comentários:

mari m. disse...

OAIDKLASLKk.

chorei de rir aqui, rs. esses micos de infância são memoráveis.. eu já paguei taaaaaaaaaaaantos micos.. continuo assim até hoje, no auge dos meus 16 anos de vida, rs. vira e mexe acabo fazendo alguma bobeira e o pessoal se acaba de rir, OIASDLAS

bjbj ;*

mari m.
http://bellanefertiti.blogspot.com

Neli Rodrigues disse...

kkkkk, limpar o chão com a bunda,kkkkkkk.
Não dá prá falar mais nada,kkkk.

Neli Rodrigues disse...

Vou indicar lá no twitter essa sua postagem.
Bjs♥

Paulo Braccini disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk ... mas aqui entre nós ... nosso mundo na época aliado à nossa ingenuidade tinha q dar nisto mesmo né? Todos nós éramos meio que aliens ... tudo vivendo no mundo da lua ... mas era bom isto ...

bjux

;-)

Fabi disse...

kkkk... rolei de rir também e acabei me lembrando de vááários micos meus na pré-escola, no segundo grau, na faculdade... rsrsrs

1. A tia deu um desenho lá para pintarmos. Pintei tudo com o lápis de cêra preto e fiquei triste pq minha mãe não conseguiu enxergar a girafa cretina. Só se colocasse contra a luz.

2. Eu derramava o suco de laranja dia sim, dia não. Ou seja, eu voltava com o uniforme imundo.

3. Fui líder de torcida na época do segundo grau. Lógico que errei muitas coreografias e levei tombos homéricos no ginásio do colégio.

4. Na aula de desenho técnico, a prancha A3 ficava imunda, de tanto que eu errava e apagava. Aí achei que encher a prancha de talco resolveria. Sò não contava que o professor fosse colocar a prancha meio que embaixo do ventilador e subisse uma nuvem federal de talco no meio da sala de aula. Era tanto talco que o homem teve uma crise de tosse.

5. Fui suspensa quatro vezes. Por motivos fúteis, é lógico. Uma delas foi porque derrubei o fotógrafo no dia da foto da formatura.

6. Teve uma festa no grêmio, a tal da Festa do Sinal. Lembra? Disponível - verde, mais ou menos - amarelo e comprometido - vermelho. Eu esqueci e fui com uma blusa com motivos reggae. Verde, vermelho e amarelo. Confuso, né?

7. Corri o campus da faculdade correndo de uma barata. Mas não era uma barata qualquer. Era uma &)¨¨%$$ de uma barata gigante. Medonha. Horrível.

Isso foi o que eu lembrei agora.
Teve muito mais...

Bjks, já estou seguindo o blog!

Fabi

maN bOwerline disse...

Simplesmente amei!kkk!Como assim limpar o chão com a bunda?rsrs!

No meu caso,sempre me senti um peixe fora d'água na época da escola,do primeiro dia ao último.As pessoas geralmente me acham diferente e não entendem as coisas que gosto ou faço/falo/escrevo.Sempre fui considerado o cara estranho.Mas até gosto porque isso me destaca no meio da maioria,mas ao mesmos tempo não gosto de me destacar porque as pessoas te machucam com mais facilidade!

PS:vou ler os textos que perdi.Boa noite! Muah! ;*

Paulo Braccini disse...

Querido David! Cada um de nós temos nossas marcas ... as minhas com relação ao Barry são ótimas ... ele marcou meu namoro e início de relacionamento com o Wander ... já são 36 anos de história ... tenho q amar o Barry né? rs

bjux

;-)

Paulo Braccini disse...

Obrigado pelo carinho queridão ... as pessoas se espantam mesmo ... mas é isto mesmo ... em tempos q o amor é algo descartável tá bom né? rs

bjux

;-)

Fernando Carvalho disse...

kkkkkkkkkkkk... só você mesmo pra limpar o chão com a bunda.

[Ψ]ÐU کτγℓє[Ψ] disse...

E vc ainda reclama...e eu q fui jogado na escola com 2 anos??
oiajoijaoijaoija

Apesar q com 3 eu já quase nom saia da diretoria...oiajoijaoija

Árvor'eu disse...

Se tudo isso me acontecesse no mesmo dia eu abandonaria a escola!


E hoje isso tem nome: bullying

Heloisa Pinhatelli da Silva disse...

Ai meu deus, gargalhei alto com sua história, em grande parte por identificação própria... E não é por nada não, mas super normal pintar leão de verde e elefante de rosa. As meninas da sua classe deviam ser virginianas, isso sim.

David ®... disse...

Fofíssima D. Silvia...eu tenho uma aqui q me pertuba a vida...A CHEFE!!!..rs

bjão sogrão

Palavras Vagabundas disse...

David,
quem não pagou mico! Eu no primeiro dia de aula estava tão assustada que fiz xixi nas calças, minha mãe foi chamada e eu não parava de chorar.
bjs
Jussara

David ®... disse...

sogrão, já corrigi a foto...rs..obrigado pelo toque (ui!)

Wans disse...

Que delícia de história. Me deu saudades das aulas de colorir. Pena que não volta mais, né? Ou melhor, que bom!

Elaine Castro. disse...

Ei sumido,
Adoro micos de infância, eu mesma tenho uma lista que se começar a contá-los dá para escrever um livro sobre o assunto, rsrsrsr.
Mas confesso que você, consegue superar muitos deles, rsrsrsr.

Beijos.

Diógena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diógena disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
eu ri tanto q chorei....
e não é exagero naum, quase ñ consegui terminar de ler o post, pois qdo lia "...enquanto eu limpava o chão com minha bunda, isso mesmo, eu sentei no chão e comecei a limpar com minha bunda." kkkkkkkkkkkkkkkkkkk a gargalhada vinha com mais força..kkkk tanto q meu filhinho de 15 meses se assustou..tadinho, sem entender nada! E qdo pensei q tinha acabado...vem a parte daltônica da história, sem falar da gentileza da Dona Silvia neh?! rsrsrs

Bem, PARABÉNS pelo blog, adoro ler seus post's, pois é certeza de boas gargalhadas!

Pena q ainda ñ tive tempo p ler todos....

ps: "te achei" através do blog de uma amiga pessoal, a Shirley( Do meu jeito),e não resisti e resolvi dá uma "espiadinha" no seu blog, e logo de cara adorei. Não sou blogueira mas vou te seguir tah?!

Filhão disse...

HAHAHAHAHA!! Sério, eu adoro essas histórias! "(resumo da opera, meu trauma de daltônico foi tão grande, que minha família só viera a saber que eu era daltônico quando eu tinha 28 anos e resolvi sair do armário das cores daltônicas)" HAHAHAHAHAHA!! Ri litros!

Lola disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Ai mano...tô aqui tentando imaginar tu limpando o leite do chão com a bunda. Hilário!
Mas essa fase escolar tem umas histórias sempre assim, meio de terror, meio de comédia! rs
Me lembro do meu primeiro ano escolar, no jardim da infância. Eu tinha uns 4 anos e meio e me recordo muito bem de um desgraçado dum moleque que, todo dia após o recreio/lanche, no qual éramos obrigados a dar um cochilo num colchonete, ele vinha MORDER MEU NARIZ! PQP! Já tinha visto gente fixado em pés, em bundas, em cadáver e até gente que quer trepar com lixo (Gersons da vida by novela Passione), mas tarado em napa...só esse moleque feladaputa da minha escola! kkkkkkkkkkkkk


Bjs

calma que estou com pressa disse...

oh david cada vez que venho aqui decubro algo novo de ti- agora descubro que tu é daltonico - sbe que eu acho isto super interessante - não sei porque - deve ser porque foge dos padrões -
agora idealizo aquele menino desesperate school limpando o chão com a bunda - crente que ninguem iria descobrir - e tud isto no primeiro dia de aula -
e ela já descobriu que tu vivia no mundo da lua ou seja tu tinha deficit de atençaõ
bj
lu

Gilson disse...

Primeiros dias de aula são realmente algo inesquecível, eu diria que todo o primário é algo inesquecível com toda a sua parte boa e toda a sua parte traumática.....rs..rs.....
É meu amigo, essas nossas experiências são deprimentes..r.s.rs

Abração

Tati disse...

Aiiiiii que bunitinhooo!
Mas essa coisa de ter medo da "tia" é demais né? " ela podia tirar uma arma e nos matar" hahahahahaha

Desde aquela época né David, sempre causando.

Beijokas
Tati

p.s: vc e essa história de daltônico!!! Ai Jesuis!

DO disse...

Corajoso vc em abrir os micos,rsss. Quem não passou? rss
Mas confesso que admiro sua memória,DAVID. Eu não me lembro de nada antes dos meus sete anos,rss
Abração!

Neli Rodrigues disse...

Tô falando de vc e do seu blog na minha última postagem, vai lá dar uma espiada.
Bjs♥

Regina Laura disse...

Oi David, a Neli mal falou de vc lá no blog dela e eu já estou por aqui :)
Rapaz, ri alto!!! Deu pra imaginar toda a cena..rsrsrs
Mas, cá entre nós, que memória heim? A menos que vc tenha 8 anos e esteja só disfarçando a idade, aceite meus mais sinceros parabéns!! :D
Do meu pré-histórico pré-primário eu só consigo lembrar em que escola aconteceu.
Nossa, ganhou mais uma seguidora fã.
Beijão

Regina Laura disse...

David, tive que voltar...
Mas até em comentário vc me faz dar risada..rsrsrsrs
Com certeza vou ler seu blog!
Deve ter muita coisa boa por aí :D
Bom dia pra vc!
Beijão

Adelaide disse...

David, cheguei aqui atraves da Neli do blog Caprichos da Neli e realmente ri muito........rsrs Mas não fica triste não o meu primeiro dia de aula também foi traumático e pior o meu se estendeu por um mês inteiro... mas é uma hitória que renderá um post com certesa...rsrs.
Já o estou seguindo. Voltarei mais vezes.
Abraços

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

ahahaha as professoras de antigamente eram politicamente incorretas e não tavam nem ai pra pedagogia e traumas infantias, falavam cada coisa.
eu sei pq tb entrei na escola qse na mesma época q vc e tb era colegio de freiras hahaha

tive uma amiga que era daltônica. a professora botava-a de castigo, pensando que ela estava debochando do desenho dado para pintar! ignorancia total.

eu gosto da lua, muitas vezes estou por lá tb hahaaha

obrigado pelos seus dois últimos comentários no blog, foram EXCELENTES.
bom dia

DaniMoreno disse...

kkkkk!!! eu fiz xixi na calça no primeiro dia de aula!!!...

adorei a história!!

beijinhos

Eder Gomes disse...

Meu Deus, eu ri muito!! Que lembranças boas... e vc me lembra a mim pq eu entrei na escola com 5 anos e meio e ja ia fazer 6 no meio do ano. Eu sou de Junho. Mas no meu primeiro dia de aula eu so chorei muito e a "tia" acabou me comprando com uma caixa de massinha de modelar, ai eu parei de chorar. Parabens pelo post!!

♥ κєκєl ♥ disse...

hehehe.......gentiiiiiiiiiiiiiii

Que texto maravilhoso. Sou professora de séries iniciais e sei bem como é esse pânico nos primeiros dias hehe, mas o que me fez rir muito foi lembrar dos meus dias de mico na escola primária - que agora chamamos de ensino fundamental -, nossa, eu era campeã viu hehehe

Não sou daltonica, sou dislexica...imagina o que passei hehehe, mas no fim, tudo deu certo....virei profe ;)

Amei o post, o blog e as aventuras do David.

Beijos da Kekel

Macá disse...

David
Li um comentário seu lá no blog do Alexandre (Lost in Japan)que diz mais ou menos o que publiquei ontem. Tragédias sim, mas muita sujeira jogada também. Bom, vim aqui conhecer seu canto e adorei, e esse post está 10!
abs

Tania Forti disse...

Oi, Davi, faz tempo que não passo aqui, aproveito para desejar um bom ano pra você.
Amigo, agora quase morro de rir com sua história, continue nos brindando com seu humor delicioso!
beijos

Letícia G. Cruz disse...

Vc é demais David.
bjsss

Lia Gloria disse...

Menino de deus, estou lendo essa tua história, só que meus filhos estão aqui no meu quarto fazendo atividade da escola. Tô pra morrer de rir, chega tô chorando já! E eles ficam me perguntando: 'o que foi mãe?', nem consigo responder. Tu é muito maluco mesmo kkkkkkk liagloria.blogspot.com

Soraya Montanari disse...

Adorei Alien... ops, David... você me fez lembrar da minha prima Thaisa, entra la no blog Peripécias da Thai, leia alguns dos textos dela e vc vai entender porque... http://peripeciasdathai.blogspot.com.br/ adorei teu blog, e já estou te seguindo... abraço