sábado, 22 de janeiro de 2011

O show de horrores da Avícola perto de casa

Quando eu era pequeno mesmo, tanto que não consigo definir bem o ano, algo como 1969 ou 1970.
Minha mãe tinha o costume de comprar galinha caipira matada na hora. Isso mesmo, ía-se a uma avícola e escolhia-se o animal que seria abatido.
Minha mãe me levava e pedia para eu escolher a galinha, da primeira vez, eu ingênuo achei que minha mãe estaria pedindo para eu escolher uma galinha que levaríamos para casa para termos como animal de estimação, escolhi a galinha mais linda que tinha no pedaço, ledo engano, Dona Lourdes satisfeita com a escolha, mandou passar a faca na coitada, eu fiquei horrorizado com o fato. Das outras vezes, minha mãe pedia para escolher, eu escolhia a galinha mais feia que tinha, minha mãe achava estranho, pois no começo eu tinha ido tão bem no papel de inquisitor, mas ela acabava escolhendo outra galinha.
Uma das vezes, alem de me levar,  minha prima Sandra que era mais velha, foi junto. Resolvemos ficar na parte da frente da granja para não ter que escolher a próxima vitima do galinhocídeo. Acho que foi uma das piores coisas que fizemos, ficamos bonitinhos sentados em frente ao balcão, quando surge uma das carrascas com um lindo coelho na mão e sem cerimônias a mulher com o cabo de um facão começa a dar cacetadas na cabeça do pobre coelho, eu e a Sandra ficamos paralisados com a cena, pois a mulher carrasca, nem esperou a morte do pobre coelho e começou a tirar a pele do bichinho, não conseguíamos nem desviar o rosto. Rapidamente o que sobrou do coelho estava dentro de um saquinho em cima do balcão. Para nós o bichinho continuava se mexendo, a Sandra ainda pois a mão por cima do saquinho plástico e claro que ainda estava quente. A gente gritava xingando a mulher malvada, minha mãe tentando por panos quentes, dizendo para a dona da granja qualquer coisa que soasse bonito da nossa parte.
Mas pensando agora, eu acho que o bichinho não se mexia mais, afinal ele ja não tinha mais nada dentro dele, acho que era o freezer do balcão que balançava tudo e nossa imaginação em climax de filme de terror ajudava a criar todo um mise-en-scène piorado.
Eu só sei que até hoje eu não como coelho... e tenho certeza que a Sandra também não come!

Por que a mãe da antiguidade acha que essas coisas são legais?
E a Avícola chamava-se Bom Parto.... uma diabólica irônia




16 comentários:

Kelly disse...

Pior é minha mãe que comprava a galinha viva e ia matar em casa!!! Meu Deus que tortura a gente ficava chorando e minha mãe dizendo que a galinha não morria porque a gente ficava com dó, afff. beijos

Neli Rodrigues disse...

Coisas de antigamente, messssmo. Aqui no interior as pessoas ainda fazem isso mas nos sítios e chácaras. Eu não quero nem ver a cara do bicho, morro de dó.
Bjs♥

Paulo Braccini disse...

odeio galinha, pato, marreco, peru e tudo mais q tenha penas ... rs

bjux

;-)

Paulo Rideaki disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Imagino que você nem comia os pratos deliciosos que a sua mãe preparava com a falecida (galinha) neh?!?!?
Pior que é chocante mesmo, qualquer ato que tire a vida de um ser por mais necessária que seja é chocante!
Imagine para duas crianças, inoscentes e indefesas, quero dizer com exceção a voce neh meu querido!
Com toda a certeza a galinha morta e o coelho friamente assassinados sabiam que seriam eternizados nas lembranças de um garoto super criativos!
Apesar das tragédias presenciadas em sua infancia fico feliz que não tenha se tornado um serial killer de frangos e nem de coelhos!
rsrsrsrsrsrsrsrsrssrsrsrr,Abraços!

Sandra =^.^= disse...

Galinhocídeo!
kkkkkkkkkkkkk...rachei aqui.
Tenho trauma dessas matanças também. Minha mãe era uma expert em "destroncar" galinha. E eu uma campeã em gritaria.
Deus me livre!
Acho que é por isso que não sou chegada em carnes.
Bjos David e ótimo final de semana pra ti.

Filhão disse...

Que horrivel!! Tudo bem que sou bem carnívoro, porém continua sendo um horror. Hahahaha! Nunca comi carne de coelho e nem pretendo!!

Laine disse...

Muito boas as tuas histórias.
Conheci hoje mas ja me diverti um montão.
Parabéns.

Heloisa Pinhatelli da Silva disse...

Caraca!!!!! Eu tenho um primo que traumatizou com essa história de matar galinha. É que minha mãe e minha vó foram inventar de criar frango só que quebravam o pescoço do bicho que ficava pulando de um lado pro outro agonizando por vários minutos. Numa dessas o frango pré-morto foi pra cima do meu primo que era bebê de um pouco mais de um ano. Agora imagina o mico de vc ter trauma de galinha!!!!
Sobre o coelho estar vivo, até acho possível. Dizem que quando aqueles filhos da puta que tiram a pele do bebê-foca... Ah, nem quero pensar nisso.

Renato Orlandi disse...

Oh meu Deuso! Que fofo.. que trauma rs! Fiquei com medo, graaaças que nunca fui a galinha mais bela.. XD bju!

Diego Hatake disse...

Que história horrorosa. Eu espero nunca ver essas coisas, me traumatizaria com certeza.
Minha mãe que teve de fazer isso uma vez, ela me contou... Ela disse que quase morria de desgosto. Espero nunca ter de fazer isso também! XD
Ah, e você está abençoado: http://diegoreflections.blogspot.com/2011/01/jogo-dos-3.html
Abraços!

Cores da Crise de meia idade! disse...

Seu texto me fez voltar para uma avícola da minha infancia! A memória continua macabra!!!!
Obrigado pelas palavras carinhos e de incentivo1
Abraços

Bruno Dezinho disse...

É por isso que desde pequeno eu não como frango. Eu quando criança via minha avó matando as ganinhas, torcendo o pescoço delas. Quando me sentava à mesa para comer, eu me lembrava e me vinha um nojo terrível.
Isso não deveria ser feito na frente de crianças. Aposto que você até hoje não gosta muito de assistir ao Perna Longa. hehehe.
beijo.

bRu.

Camila Raíssa disse...

Muuito legais as suas histórias, de muito bom humor, gostei hehehe.
Abraços

Kantinho da Kekel disse...

Nem sei se rio ou se choro.
teu jeito de contar é ótimo, mas como pedagoga, fiquei aterrorizada da mulher matar o coelho na frente de duas crianças como se fosse a coisa mais natural do mundo.Ah, mas não vou dar uma aula de psicopedagogia no blog né? hehehehe

Olha que cabeça tua de criança né? A galinha feia podia morrer. Ainda bem que nasci gente, se fosse galinha tinha ido para a panela kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vc é ótimo meu anjo......bjs

Pandora disse...

Se não fosse cômico seria tragico, bem para o coelho foi tragico mesmo!!!

Regina Laura disse...

Decididamente, eu não consigo comer nada na categoria animal que tenha forma definida.
Se vir o bicho vivo então...valei-me!
Nem consigo imaginar a situação que vocês passaram. Acho que eu voava pra cima da mulher na hora.
É..às vezes eu tenho essa mania de agir primeiro e pensar depois..rsrs
Next...