sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Uma viagem ao Rio

Outubro de 1982, minha prima Wanise trabalhava no Unibanco e lá estavam fazendo uma 'excursão' para o Rio de Janeiro.
Era uma aventura farofenta, porém com um certo glamour, pois sairíamos na sexta-feira a noite e voltaríamos no domingo. Ficaríamos no Hotel Nacional que era lindo! [hoje em dia esta fechado, porem em reforma para as Olimpíadas do Rio2016].
A viagem já começara dando suas derrapagens, marcaram o ônibus as 20h em frente ao Hotel Hilton no centrão de São Paulo, lá estávamos nós, arrumados todos, muita gente, muita mesma, eram 5 ônibus. Veio chegando os ônibus um a um e o nosso nada de chegar, todo mundo indo embora e nós lá. Madrugada chegando e nada daquele maldito ônibus chegar. Lá pelas 4h da manhã, desponta na avenida Ipiranga nosso ônibus com apenas 8 horas de atraso e a gente lá empolgado 85%, afinal eu ja estava acordado desde as 6h da manhã da sexta, pois tinha ido a escola normalmente.
Entramos no ônibus, minhas primas Wanise e Rosana sentaram juntas no fundão e me sobrou um lugar com uma moça falante. Falava demais, muito, mais que eu (isso chega ser impossível, mas la estava a impossível sentada). A única coisa que eu fazia era espirrar, pois a tagarela levara uma manta que instantaneamente atacara minha renite e reclamar do mau cheiro que o ônibus tinha. Eu comentava com ela e ela dizia que não sentia e blá blá blá blá. Em um dado momento resolvi visitar o final do ônibus, lá percebi que não existia cheiro, alias, não existia cheiro nenhum num raio de 1 metro da minha amiga arara. Ou seja, além de falar muito, trazer um cobertor que me fazia espirrar o tempo todo a ponto de todos tirarem com minha cara, ela tinha um mau hálito das profundezas do inferno!
Tentei fazer a social no ônibus com qualquer um que desse trela, o importante era não sentar no meu lugar!
Enfim chegamos no Rio de Janeiro no hotel lindo, luxuoso e tal, fui ver em que quarto ficaria, pois ja sabia que minha estadia era em quartos duplos.
No saguão me informaram que o companheiro de quarto tinha o nome de Feliz, sim estava escrito Feliz, não deu para não fazer uma piada rápida: - Onde será que ficará Branca de Neve? pois num quarto já estão Atchim e Feliz!
Como chegamos no minimo 6 horas depois de todos, meu amigo desconhecido Feliz ja estava curtindo a piscina e estava com a chave, só  restou me arrumar no quarto das minhas primas e ir para praia.
Ai começa mais um capitulo micoso da minha vida.
Coloquei meu calção, na época usava-se aqueles calções curtinhos tipo adidas feito de nylon. Sai assim, mais nada alem de calção, sem toalha, sem carteira, sem lenço e sem documento.
Fomos andando no calçadão, quando eu resolvi que queria ir para praia, minhas primas, tentaram me impedir dizendo que o paredão entre a calçada e a areia era muito alto e coisa e tal, mas eu, como era metido a super herói, resolvi pular aqueles 2,5m que separavam um nível do outro.
Pulei sem nenhum problema, era um atleta, não me machuquei nem nada, porém... meu calçãozinho modernérrimo justinho, não aguentou o tranco e resolveu rasgar ligeiramente tipo uns 10 cm na lateral direita, como se fosse um bolso.
Minhas primas estavam meio que distantes indo pelo caminho dos humanos, as escadas, mal me viam, eu fui correndo avisa las que ira até o hotel para trocar de shortinho (Carla Perez), elas me deram a chave no quarto.
Coloquei a mão no rasgo e fui, ao chegar na piscina, pensei: -Vou procurar esse tal de Feliz, assim ja pego a chave e deixo no saguão!
Desfilei por todo o deck da piscina que era enorme, ia devagar para achar o numero do quarto em alguma chave em cima de mesa ou cadeira e assim achar o tal de Feliz.
Após 40 minutos de desfile com a mão no rasgo desisti e subi para me trocar ao chegar no quarto, fui tirar o shortinho e descobri que o rasgo de 10cm da lateral direita era pequeno em relação ao rasgo da lateral esquerda que ia do cós até a perna, ou seja dava pra ver tuuuudo, tudo mesmo!!
Desfilei por 40 minutos num ensaio de semi nudismo pelo hotel!
Quem acha que meu dia acabou aqui, engana-se.
A tarde tivemos city tour, tudo aquilo que se tem nessas viagens relâmpagos, a noite tínhamos um Show incluído no pacote era o Show da Simone no Canecão. (Uma farofa com pompa e circunstância, convenhamos).
Nesse ínterim descobri que meu companheiro de quarto não era um anão da Branca de Neve, seu nome era Felix e não Feliz, mas tambem só isso. Ainda não tinha visto a cara do infelix, digo infeliz.
Chegamos no hotel as 3h da manhã ou seja eu ja estava a 45 horas acordado, fui para o quarto e cai duro na cama, até que fui acordado com gemidos de uma mulher dizendo: -Acho que ele ta acordando!
Juro que eu tentei acordar, mas não dava e o meu amigo invisível havia levado uma garota para o quarto e a cada gemido eu acordava e pensava: -Vou assistir! mas Morfeu ciumento me tomava nos braços de novo!
E assim foi por muito tempo eu acordando com gemidos e gritos de prazer dos dois e Morfeu vedando meus olhos não deixando eu assistir o porno ao vivo!
Acordei de manhã e meu amigo Felix o invisível dormia de bunda para cima, sozinho e a Dona Gemedeira ja não estava mais no quarto. Nunca vi ou conversei com meu amigo Felix, o feliz!
Arrumei as malas pois tínhamos horário e fui tomar café com minhas primas e contei o acontecido para o povo do meu ônibus.
Na volta, viagem transcorreu interessante pela Rio Santos, ja não mais do lado da Arara baforuda, mas sim do lado de uma outra pessoa que fez a viagem valer mais a pena. Mas isso eu conto em outra historia para não perder o foco.






Meu amigo Cristiano Ronaldo se prontificou em fazer uma simulação do David passeando com o tal shortinho escondendo o pequeno rasgo, para o blog Era Uma Vez...









Olha as pessoas em relação ao paredão... por que a gente quando é novo tem essas manias de super-héroi?
E Morfeu estragou meu pornô ao vivo

8 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

e eu ri muito por aqui ... OMG!

Neli Rodrigues disse...

David, vc é mestre em contar histórias, sendo rio muiiiito.
Tb adorei essa foto do CR7 de shortinho beeem curtinho, fantástico!
Bjs

Madi Muller disse...

Ahhh,que história boa,tô rindo até agora...Bah,eu cheguei a conhecer o Hotel Nacional em sua glória,qdo.vc foi eu tinha 16 aninhos..hehehe..a Couromoda acontecia lá,antes de se mudar pra SP,e haviam grandes desfiles,tudo era glamour..e tb tinha uma boate lá no Rio que bombava nessa época,o Regine´s,onde só os vips e famosos entravam(e os gays cariocas mais descolados tb,o que me deu a chance de conhecer o lugar bafônico..)Eu não era ninguém mas meus amigos gays me carregavam pra lá e pra cá,inclusive me produziam pra night (eu era praticamente um projeto de travesti teen na mão deles,mas eu adorava me montar!)sou eternamente grata a eles pelas portas que me abriram e por tudo o que me ensinaram..É o que eu sempre digo:toda mulher precisa ter um amigo gay pra deixar de ser baranga..rss..

Palavras Vagabundas disse...

David,
o que eu achei mais engraçado foi o pulo do paredão, completamente sem noção...
Amigo Feliz/x também era sem noção...
Melhorou meu domingo!
bjs
Jussara

wair de paula disse...

Rapaz, todo mundo já teve um programa cilada assim, mas poucos cinseguem rememora-lo com tanto humor. Abs-

Diego Hatake disse...

Huahahauaha... Com sono ou não eu teria visto o que estava dando tantos gemidos. Ou filmado, quem sabe.
E admita: você GOSTOU de ter andado pelo hotel de shortinho Carla Perez mostrando quase tudo... ADMITA!!! XD
Abraços.

Wans disse...

Eita que eu agora quero saber sobre a sua volta. rs

Inaie disse...

eu só quero saber de uma coisa: por que essas coisas só acontecem com voceeeê? Por queeee?