domingo, 6 de janeiro de 2013

Os primeiros passos do seu filho

Quando engatinhar para seu filho é pouco e você o pega pelos bracinhos e ensaia os seus primeiros passos,  cada passo que ele dá é uma alegria tão grande pra você e uma conquista enorme para ele.
Passa-se os anos, você já nem lembra mais como era fazer isso, mas de repente você se vê novamente nessa conquista dos passos, só que os sentimentos não são tão simples, você esta feliz, mas por que chora tanto? Seu filho esta dando os passos para direção que sempre desejou, esta caminhando para um lugar ao sol, mas suas lágrimas são de felicidades? Sim são de felicidades, porém existe um misto de medo, tristeza de vê-lo partir para longe, de não estar perto quando ele precisar.
Porque de toda essa história?
Meu filho Yan esta de mudança, esta mudando para Buenos Aires para estudar e jogar Rugby, esta que não se contem de felicidade, toda sua ânsia juvenil sua sede de conquista transborda por todos os poros, impossível  nós pais não ficarmos contagiados.
Mas meus sentimentos são tão loucos, pois para cada sorriso de felicidade e orgulho, um nó no peito e na garganta surge, tenho certeza que sua mãe esta assim também.
Mas engolimos todos os temores e só desejamos o melhor!

Yan boa viagem!
Faça o seu melhor
Estamos orgulhosos de você, sempre!!
Seus pais, sua mãe, seus irmãos e suas avós torcem por você!
Vai fundo garoto!







Minha mãe, que nos últimos 4 anos conviveu com ele diariamente, 
pois ele resolveu morar com ela em São Paulo, esta murchinha,
pra ela é mais difícil pensar no Yan 5 anos fora.


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Cristo Redentor e minha mãe


Estivemos, neste último dezembro, no Rio de Janeiro, visitando meu filho Kim e minha nora Lauranne, comigo foram minha mãe e minha tia Lúcia, a irmã caçula de minha mãe (isso não significa que ela seja uma menininha, ok?). Minha mãe fazia 32 anos que visitara o Rio e minha tia fazia 45 anos, ou seja, elas conheciam um outro Rio de Janeiro.
Todo o trânsito da cidade não as assustou tanto, já que as moçoilas são moradoras de São Paulo, mas a mim,  irritou me os buzinadores, pois carioca, não sei por quê, tem um paixão frenética pela buzina.

Mas o Cristo Redentor algo estava estranho, segundo a visão de Dona Lourdes, ao visitarmos a Lagoa Rodrigo de Freitas, minha mãe olhou o morro do Corcovado e viu o Cristo e disse:
- Opa! esse não é o Cristo Redentor! Deve ser outro, acho que fizeram mais um, só que menor!
Não adiantou a gente rir e dizer que era o mesmo, pois ela encasquetou que esse Cristo estava pequeno.

Visitamos o Cristo Redentor depois de alguns dias, ai minha mãe teve a certeza que o Cristo encolheu. (confesso que também tive essa impressão).

Mas no Cristo a diversão continuou...
Uma imensidão de turistas do mundo todo e Dona Lourdes no meio de todos.
No mirante em frente ao Cristo tem uma escadaria e havia uma senhora com uma bengala subindo as escadas, Dona Lourdes que é uma moça de 83 anos resolveu ajuda-la.
Ao término da escadaria, a senhorinha disse: -Thank you! 
Minha mãe dominadora do idioma respondeu: -hehehehe uma velha ajudando a outra, é engraçado mesmo!

Um casal de algum estado do Nordeste estava com seus filhos adolescentes tirando fotos, a filha tirava dos pais com o irmão e a mãe pedia pra que fosse rápida pois a bateria da câmera estava acabando.
Minha mãe observou tudo e virou pra mim e disse:
-Nossa eu entendi quase tudo o que eles falaram! Entendi que as pilhas da maquina fotográfica estão fracas!
Eu respondi:
Mãe! eles estão falando o nosso idioma, ainda bem que a senhora ainda entende o português!

Essa é a Dona Lourdes!
Acho que esse Não é o Cristo Redentor

Estou falando que ele é pequeno!

Os cincos aventurantes

As irmãs, e minha tia em um momento de Kátia cega


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

A tá!

Véspera de ano novo, todos na piscina do sitio, eu cuidando de alguns detalhes da ceia da noite.
Entra o Clark na cozinha todo felizinho com algumas cervejas tomadas e me pergunta porque eu não paro o que estou fazendo e vou ficar com todos lá fora. Digo que já estou terminando e que vou pra lá.
Nisso ele diz:
-Eu estou contando pra eles umas histórias! Você sabe que meus pais vieram de outro pais, né?
Eu fiz uma cara de pirulito de desenho animado americano e ele continuou:
-Sim vieram do Japão!
Minha cara deve ter dobrado o tamanho do pirulito.
Ai eu pensei, porra o Clark deve estar muito bêbado, contar uma "mentirinha" desse tamanho e achar que todo mundo vai engolir, ele está preste a entrar em coma alcoólico!
Ai o Clark vendo minha cara de paisagem do Saara diz:
-David, era eu que amassava a massa do pão, já disse isso pra você!
Eu cai do estase e falei:
-Calma, calma, calma... do que estamos falando?
Ele:
-Meus pais vendiam pão!
Eu:
AAAAA tá!!! achei que você tinha extrapolado sua coerência de mentirinhas de bêbado e todo mundo lá fora estava pior que você!
O filho de japoneses